Resenha #7: Uma Longa Jornada, de Nicholas Sparks

O último romance do escritor norte-americano Nicholas Sparks, A Última Jornada, me surpreendeu positivamente. Com os mesmos utensílios de trabalho, isto é, uma cidade da Carolina do Norte e  um casal apaixonado, o autor deu vida e graça para mais uma história de amor a partir da sua narrativa envolvente. Apesar de criticado pela sua fórmula básica de falar sobre amor e homenagear seu estado natal, o escritor sempre consegue criar universos totalmente diferentes, afinal de contas, nenhuma história de amor é igual a outra.

As peculiaridades de cada personagem tornam os diálogos e momentos bem distinto um do outro. Claro, para quem já leu mais de cinco livros do escritor é fácil captar semelhanças entre gostos e abordagens temáticas. Nesta obra, por exemplo, as duas personagens femininas são apaixonada por pintura, assim como Alien de Diário de Uma Paixão (1996). Os protagonista de Sparks são muito bem desenvolvidos e suas qualidades se destacam. Dessa vez, o autor nos presentei com dois emocionantes romances em um único livro.

O primeiro é a história entre Ira e Ruth, que aborda as profundezas de um longo casamento e a sobrevivência do amor com o passar do tempo. De um outro lado, aparecem Luke e Sophie, dois jovens na casa dos 20 anos, que acabam de se conhecer e se apaixonam mais a cada dia. Diferente de outras abordagens do autor, os capítulos são narrado pela perspectiva de cada personagem. Assim, temos de forma separada, o pensamento de cada um deles sobre os acontecimentos do enredo. A princípio, achei as parte de Ira, um homem de 91 anos, um pouco chata, os melhores momentos era quando ele relembrava a sua juventude e como iniciara o relacionamento com amor da sua vida, Ruth.

Ao ler sobre a possibilidade de uma amor tão pleno desse jeito, o nosso coração se esquenta e não há como não desejar algo semelhante. Até o fim da vida Ira amou Ruth e seu objetivo era que todos, ou pelo menos alguém, pudesse compreender esse sentimento. Preso nas ferragens do carro, após sofrer um acidente, o velho homem começa a ter alucinações com sua finada esposa, entretanto, essa aparição o ajuda a cumprir o seu objetivo de vida. Novamente, Nicholas ressalta a questão do poder da fé para as pessoas.

No campo do amor jovem e recém-descoberto, o texto flui com facilidade. Com este casal, o autor mistura sensualidade e amadurecimento. Ele envolve o peão de rodeio Luke com a jovem estudante de artes Sophie. De início, completamente diferente, mas olhando de perto, eles são um casal que se completa. As obras de Nicholas Sparks são envolventes porque não se limitas a personagens e relacionamentos amorosos. Com um pouco mais de dedicação, ele cria valiosos âmbitos de desenvolvimento, que abrange carreira, família e adversidades da vida.

Desde o início sabemos que a história de Ira e Ruth vai se cruzar com a de Luke e Sophie, mas durante o texto poucas dicas são plantadas para entendermos exatamente como acontecerá o encontro e qual a relevância disso para história. A partir desses questionamentos, fui surpreendida por um caracol de acontecimentos e um sorriso pasmo surgiu no meu rosto por ter sido ludibriada pelo escritor.

Acompanhar o desenrolar das histórias é como ganhar dois livros em um. Os detalhes sobre os rodeios e os cuidados de uma fazenda são bem próximos da realidade. Além disso, Nicholas destaca sua paixão e conhecimento por pintura neste novo romance. Os últimos lançamentos do autor O Melhor de Mim (2011) e Um Longa Jornada (2013) oferecem uma visão mais madura dos relacionamentos, o que pode decepcionar as fãs adolescentes, mas com certeza encanta o público feminino, como em Noites de Tormenta (2002).

Um Longa Jornada é uma leitura fácil e, ao mesmo tempo, desafiadora por tornar o encontro das duas narrativas um mistério até muito perto do final. O personagem Luke é o príncipe encantado da história, bonito e charmoso, o personagem masculino é um cara sensível, batalhador e o tipo de homem apaixonado que se entrega de coração aberto. Apesar de não ser bom com as palavras, suas atitudes são totalmente afirmativas aos sentimentos que sente pela bonita e loira Sophie.

O romance se desenvolve ao longo de 360 páginas, entretanto, apenas na parte derradeira que o livro mostra um frescor original e pouco previsível. Ao todo, tudo ocorre bem e sem problemas, mais uma história de amor, desafios pessoais a serem ultrapassados e o amadurecimentos dos relacionamento amorosos, de amizade e familiares. É um dos melhores romances de Nicholas Sparks, ao lado de O Melhor de Mim e Diário de Uma Paixão.

Anúncios

Sobre Letícia Alassë

Jornalista formada pela Universidade Federal Fluminense, Editora e Crítica do blog Centro do Cinema e Translação de Culturas e idealista por convicção. Aos 27 anos tenta descobrir a melhor maneira para viver.

Publicado em 17/09/2013, em Literatura e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: