Curta brasileiro ‘O Pacote’ é selecionado para o 63° Festival de Berlim

A produção de curtas-metragem no Brasil ganha mais uma vez o reconhecimento dos festivais internacionais. O Pacote do cineasta e roteirista Rafael Aidar foi selecionado para integrar a mostra competitiva Generation 14plus, parte da programação do 63º Festival Internacional de Cinema de Berlim, do dia 7 a 17 de fevereiro de 2013. Vale lembrar que em 2008, o brasileiro Felipe Sholl levou o prêmio Teddy, com o curta , por melhor filme na categoria LGBT.

No texto da seleção, o concurso ressaltou que muitos filmes sobre essa temática estão sendo feitos no Brasil, mas que o selecionado retrata a história de um grupo de jovens de uma classe social pouco representada nesse nicho. Produzido por Beatriz Carvalho, O Pacote é uma coprodução entre Aurora Filmes e Klaxon Cultura Audiovisual. A produção foi viabilizada por meio do incentivo recebido pelo Prêmio Estimulo ao Curta-Metragem – 2011, da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Cartaz do curta O Pacote, de Rafael Aidar

Para compor o quarteto principal desse filme, os produtores realizaram testes com mais de 100 jovens da SP Escola de Teatro, os outros estudantes ajudaram no elenco de apoio e figuração. As filmagens foram feitas em junho de 2012, durante quatro dias, nos bairro da Vila Madalena, Imirim, Saúde e Sacomã da cidade de São Paulo. O diretor decidiu tratar de um tema contemporâneo voltado aos jovens adolescentes, como um retrato geracional e uma reflexão de uma situação vigente.

O Pacote, de 18 minutos, apresenta a história do jovem Leandro que ingressa numa nova escola  num bairro periférico de São Paulo. Na classe, conhece Jefferson, que lhe apresenta sua nova turma de amigos. Com o passar do tempo, os dois rapazes se identificam e ganham intimidade, até que decidem ficar juntos. A relação é posta a prova quando Jefferson revela ser HIV positivo. A partir dessa novidade, Leandro fica na dúvida de se entregar ou não ao relacionamento amoroso.

Cena do curta "O Pacote"

O objetivo de Rafael Aidar ao retratar o universo e as problemáticas de jovens gays era  expandir os espaços de circulação desses dilemas. A proposta do filme é  falar do amor e de aspectos da natureza humana comum a todos, eliminando qualquer tipo de barreira entre um relacionamento afetivo entre duas pessoas.

Será que ganharemos outro prêmio para o Brasil? Pelo menos, nossa produção de curtas-metragens já consegue destaque no exterior e, com isso,  ajuda  novos cineastas a começarem sua carreira.

Anúncios

Sobre Letícia Alassë

Jornalista formada pela Universidade Federal Fluminense, Editora e Crítica do blog Centro do Cinema e Translação de Culturas e idealista por convicção. Aos 27 anos tenta descobrir a melhor maneira para viver.

Publicado em 20/01/2013, em Curta-Metragem e marcado como , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: