Histórias de 29 de Fevereiro

O ano bissexto existe por causa de um ajuste entre o calendário convencional e o movimento de translação da Terra em volta do Sol, o que nos leva a acrescentar de quatro em quatro anos  o dia 29 de fevereiro nas nossas contas. A data, no entanto, e circundada por superstições e  crendices populares. 

Na Irlanda, por exemplo, existe uma tradição que no dia 29 de fevereiro as mulheres podem pedir a mão de homens em casamento e se eles não aceitarem terão que pagar uma multa às supostas noivas. Alguns dizem que esta história começou no século V, quando a Santa Brígida reclamou ao respeitado padre São Patrício que não era justo as mulheres terem que esperar pelo pedido de casamento. Após muito insistência da Santa, o padre cedeu, só que restringiu a atitude ao dia mais raro do calendário e a tradição se espalhou pelo Reino Unido.

Em 1288, a Rainha Margarida da Escócia estipulou uma lei que concedia, durante este dia, que  moças e senhoras de alta ou baixa classe tivessem a  liberdade de escolher o rapaz de seu agrado para casar-se. Se o homem não aceitasse a proposta deveriam pagar à constrangida mulher prêmios que variavam de beijos a vestidos de seda, sendo multado de acordo com suas posses. Anos mais tarde, semelhante lei foi promulgada na França e, no século XV, o costume seguiu para Gênova e Florença.

Outra história baseada no dia é que muitos norte-americanos nascidos na data comemoram o seu aniversário na cidade de Anthony, na fronteira entre o Texas e o Novo México. Em 1988, o município se auto-proclamou a capital mundial do ano bissexto e, desde 1992, Anthony promove um evento para celebrar o 29 de fevereiro, o World Wide Leap Year Festival, que atrai turistas de outros estados e até de outros países.

O dia 29 de fevereiro também é marcado por um fato importante, tanto para história do cinema quanto para a luta contra o preconceito racial. Em 1940, nesta mesma data, o filme “E o Vento Levou..” (Gone With the Wind, 1939) levou oito estatuetas do Oscar e teve a primeira pessoa negra a receber o prêmio. Hattie McDaniel ganhou na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel da emprega Mammy no longa. Com a indicação, ela também foi a primeira negra a ser convidada para cerimônia, vale ressaltar que na época os Estados Unidos viviam uma intensa discriminação racial. Para separar as raças, existiam restaurantes, banheiros públicos, ônibus, igrejas e escolas exclusivos para as pessoas de pele escura, portanto o fato foi considerado um avanço na luta contra a segregação.

Vocês sabem porque o ano é chamado de bissexto? Segundo o Guia dos Curiosos, a expressão veio da Roma Antiga, quando os dias tinham nomes baseados no ciclo lunar. Desse modo, o dia 24 de fevereiro se chamava “antediem sextum calendas martii”, ou seja, “sexto dia antes da lua nova de março”. Antes de ser instituído o 29 de fevereiro, o dia 24 de fevereiro era duplicado de 4 em 4 anos. Nesses anos ele era chamado de “antediembis-sextum calendas martii”, isto é, “duas vezes o sexto dia antes da lua nova de março”.

Quem acha um absurdo o dia 30 de fevereiro? Pois, acredite, a história mostra que a data intitulada “Dia de São Nunca” existiu e os suecos do século XVIII viveram este dia. Pois, até 1712 era adotado o calendário juliano, em que todos os anos múltiplos de quatro são bissextos. Portanto, 1700 tinha sido bissexto e para se ajustar ao recém-adotado calendário gregoriano, em que não houve ano bissexto, a Suécia adicionou dois dias ao ano de 1712, além do 29 de fevereiro, contabilizaram o dia 30 de fevereiro.

Há ainda uma especulação que em 1235, Johannes Sacrobosco publicou no livro De Anni Ratione a informação de que o imperador César Augusto retirou um dia do mês de fevereiro e colocou em Agosto, nomeado em sua homenagem, para não ficar com um número inferior aos 31 dias de Julho, em homenagem a Júlio César. Na suposição, o matemático e professor afirma que fevereiro tinha 29 dias e, por isso, os anos bissextos entre 45 a.C e 8 d.C, período de implantação do calendário juliano até a troca do mês Sextilis para Agosto, possuíam o dia 30 de fevereiro.

Alguma história que você conheça e não foi contada aqui? Diga-me!

Anúncios

Sobre Letícia Alassë

Jornalista formada pela Universidade Federal Fluminense, Editora e Crítica do blog Centro do Cinema e Translação de Culturas e idealista por convicção. Aos 27 anos tenta descobrir a melhor maneira para viver.

Publicado em 01/03/2012, em Histórias Populares e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: