2 Coelhos – Cinema Nacional

Uma das melhores sensações a assistir um filme é se surpreender. Quando nós saímos do nosso estado de inércia de espectadores e somos contagiados por imagens, diálogos e sons rápidos e envolventes. Com o abuso dos efeitos visuais, o diretor Afonso Poyart trouxe uma nova linguagem para o cinema nacional, que andava carente de filmes de ação desde Tropa de Elite 2 (2010). O filme 2 Coelhos (2012) tem elementos típicos de produções americanas, bandidos atrás de uma enorme quantia de dinheiro, diálogos rápidos, perseguição de carro, narrativa não linear, exploração de efeitos visuais e cenas lúdicas.

Não conheço nenhum filme brasileiro que tenha conseguido explorar estas nuances e, de certo modo, me lembra obras como Corra, Lola, Corra (Alemanha, 1998) e Scott Pilgrim (EUA, 2010). O longa também traz uma linguagem de videogames para a história, bem explorada e encaixada na narrativa, que apresenta os personagens como em uma revista em quadrinhos por meio de um locutor em off. Aos poucos, vamos juntado as peças do quebra-cabeça para descobrir a relação entre cada um deles.

Alessandra Negrini defende muito bem sua personagem Júlia, que começa a história com uma participação inexpressível e aos poucos se torna o centro das atenções. Já Caco Ciocle aparece em cena sempre com a cara fechada, com um professor universitário amargurado. O papel de Ciocle começa monótono e conforme o desenrolar da trama vai ganhando novas características. Outros atores que se destacam são os bandidos parceiros de Maicom (Marat Descartes) com excelentes tiradas durantes as cenas de confronto e violência.

As mudanças de filtro, cenas em slow motion e perspectiva de objetos dão uma movimentação ao filme de forma que o conteúdo para ser menos explorado do que o visual. Apesar de se destacar por sua fotografia, a obra tem a pretensão de ser uma crítica política, em que o poder jurídico e o executivo se encontram para promover a impunidade e a corrupção. O anti-herói Edgar (Fernando Alves Pinto) tem o objetivo de fazê-los pagar colocando os bandidos e os políticos em rota de colisão. As características de bom moço passam longe do personagem, o que nos proporciona um roteiro cheio de oportunidades a serem exploradas.

2 Coelhos possui alguns defeitos, como buracos no roteiro e excesso de informação visual em determinados momentos, entretanto, as reviravoltas da história e o apelo visual superam os seus deslizes. Sendo assim, o filme se consagra com uma grande surpresa para uma indústria muito capenga no Brasil. Recomendo que vejam sem expectativas e se delicie com o que pode acontecer.

Este é o primeiro longa metragem do diretor Afonso Poyart, que desponta como uma das grandes promessas para as nossas telas de cinema. Já que, atualmente, posso citar apenas mais dois filmes nacionais realmente bons: Tropa de Elite 2 e O Palhaço, de Selton Mello, em 2011.

Anúncios

Sobre Letícia Alassë

Jornalista formada pela Universidade Federal Fluminense, Editora e Crítica do blog Centro do Cinema e Translação de Culturas e idealista por convicção. Aos 27 anos tenta descobrir a melhor maneira para viver.

Publicado em 26/01/2012, em Cinema e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Olá,

    O 5º Festival ArtDeco de Cinema convida diretores e produtores a inscreverem seus curtas para a edição de 2013.

    Não há taxas e inscrições são online

    Inscreva já o seu filme.

    Informações: http://festivalartdeco.blogspot.com.br/

    Obrigado,
    ArtDeco Film Festival, Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: